Vigília Pascal

Nossa vida

 

   A atual geração de monges procura ser fiel à herança recebida numa vida que tenta manter o equilíbrio do horário beneditino (oração, trabalho e leitura) e a tradição cisterciense do trabalho manual. Os trabalhos da casa são os mais diversos, tanto manuais  como outros de natureza mais intelectual. O trabalho monástico não deve ser apenas ocupação mas real empenho dos que desejam contribuir para o sustenta da comunidade, sendo assim uma exigência da pobreza. Tanto quanto possível, deve estar unido à oração pessoal, já que existem estados de oração compatíveis com as diversas atividades exercidas. Para os cistercienses, a relativa monotonia do trabalho manual sempre foi valorizada como ocasião favorável para viver a presença de Deus na oração.

 

"Se ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus. Afeiçoai-vos às coisas do alto, e não às da terra, porque estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.


Colossenses, 3

 

 A consagração do monge ao serviço e ao louvor de Deus no interior do mosteiro é o principal contributo que presta à Igreja, conforme ensinou o Concílio Vaticano II. Faz parte desse serviço, de forma eminente, a celebração diária da Eucaristia e do Ofício Divino, que reúne toda a comunidade sete várias vezes por dia na igreja do mosteiro, em celebrações sempre abertas a todos.

Mas a vida de oração do monge não se esgota nas celebrações litúrgicas. A oração pessoal prepara para o Ofício Divino e dele recebe o seu vigor, de tal forma que não há oposição, mas complementação.

 

"O sangue de Cristo requer de nós a obediência até a morte, porque Cristo sofreu por nós, dando-nos o exemplo para seguirmos os seus passos, isto é, até a morte, e morte com Ele. Exige de nós morte por morte, o mesmo que nos livrou da morte! Ó imensa maravilha! A morte nos livra da morte, e nos obriga a morrer! Contraímos uma dívida de morte, porque mossa dívida de morte foi sanada. Por um novo motivo, temos uma dívida de morte,  depois da antiga culpa, se queres, mas também uma nova graça."

Balduíno de Ford

 


  Muito importante é o desejo de uma autêntica comunhão fraterna, com o sincero desejo de partilha e a divisão dos trabalhos e responsabilidades, num clima de simplicidade, silêncio e oração que favorece a tarefa fundamental do monge, a busca de Deus. De fato, para São Bento, esta busca não é apenas um esforço individual, mas os monges caminham juntos, solidários uns com os outros, na mesma procura e no mesmo desejo de Deus.

 

Horário monástico

Despertar

3:30

Vigílias

3:45

Lectio divina e oração pessoal

após as Vigílias

Laudes *

6:30

Santa Missa *

7:00

Terça - trabalho

8:30

Fim do trabalho

11:45

Sexta - almoço

12:00

Descanso

.

Noa - trabalho

14:00

Fim do trabalho - estudo - oração pessoal

16:00

Vésperas - jantar

18:00

Colações - Completas

19:10

* Aos domingos, as Laudes são celebradas às 07:15, e a Santa Missa às 08:00. As Vésperas, cotidianamente, e as Laudes dos domingos e dias festivos são rezadas em latim.

 

"Exaltai ao Senhor, diz a Escritura, enquanto podeis: nunca é demasiado! Rica matéria, doce ocupação! Que há de mais doce, que há de mais agradável que esta ocupação que por si só representa aqui embaixo a imagem da sorte dos anjos e da vida futura? É bom, diz o salmista, louvar ao Senhor, e cantar o vosso nome, ó Altíssimo."

Gilberto de Hoyland

 
FormatFactoryIMG_2122.jpg
 

(14) 3848-1102

Av. São Bernardo, Itatinga - SP, 18690-000, Brasil

  • Google Places
  • Facebook
  • YouTube

©2020 por Abadia de Nossa Senhora da Assunção de Hardehausen-Itatinga.